12 Filmes da Magnífica Comédia Italiana

Por Philippe Leão

Facebook: www.facebook.com.br/cineplot
Twitter: @Cineplotoficial
Instagram: @Cineplotoficial

 

Os anos 1940′ foram de fundamental importância na produção cinematográfica italiana. O surgimento do neorrealismo marca um Cinema crítico perante às mazelas deixadas pelos governo autoritário e ocupação nazista que sucumbiram o país a uma depressão profunda. Grandes obras como Roma Cidade Aberta; Ladrões de Bicicletas; Alemanha Ano Zero; Paisà; Vítimas da Tormenta; foram realizadas, catapultando a Itália a um dos centros de produção cinematográfica do mundo.

A chegada do Partido Democrata Cristão – derrubando o PCI (Partido Comunista Italiano) -, porém, provocou uma censura que pôs fim ao movimento neorrealista. A perseguição a tudo que pudesse fazer referência ao comunismo era uma prática. Contudo, muitos artistas começaram a mascarar as críticas sociais em seus filmes. É o caso de Arroz Amargo, de Giuseppe de Santis.

 

A GRANDE GUERRA

Direção: Mario Monicelli
País: Itália
Ano: 1959
Nome Original: La Grande Guerra

Itália, 1916. Oreste e Giovanni, como todos os jovens do país, são chamados para se alistar no exército, para lutar na Primeira Guerra Mundial. Os dois fazem de tudo para escapar dessa obrigação. Contudo, os dois acabam no front de guerra e se vêem encarregados de uma missão decisiva.

 

ONTEM, HOJE E AMANHÃ

Direção: Vittorio de Sica
País: Itália
Ano: 1963
Nome Original: Ieri, Oggi, Domani

Três histórias sobre três mulheres diferentes e o homem o qual elas amam. Em Nápoles, Adelina (Sophia Loren) que é casada com Carmine (Marcello Mastroianni) um vagabundo, foi presa por contrabandear cigarros. Só que ela descobre que não pode ir para a cadeia enquanto estiver grávida. E agora, anos após e sete filhos depois, Carmine está “ligeiramente impotente” e a cadeia parece inevitável para Adelina que tenta “incentivá-lo” de todas as maneiras. Em Milão, Anna (Sophia Loren) dirige um Rolls Royce e está aborrecida ao lado de seu amante (Marcello Mastroianni). O casal discute e troca palavras hilariantes passando por uma série de contra-tempos engraçados. Mara (Sophia Loren) é uma garota de programa cujo encontro com o “ansioso” Augusto (Marcello Mastroianni) a todo instante é “interrompido” pelo vizinho, um seminarista cujo compromisso com a castidade está estremecido desde o momento em que a conheceu.

 

 

FEIOS, SUJOS E MALVADOS

Direção: Ettore Scola
País: Itália
Ano: 1976
Nome Original: Brutti sporchi e cattivi

Giacinto (Nino Manfredi) mora com a esposa, os dez filhos e vários parentes num barraco de uma favela de Roma. Todos querem roubar o dinheiro que ele ganhou do seguro, por ter perdido um olho quando trabalhava. A situação fica ainda pior quando ele decide levar uma amante para dentro de casa.

 

ENSAIO DE ORQUESTRA

Direção: Federico Fellini
País: Itália
Ano: 1979
País: Prova D’orchestra

Numa capela romana, agora um oratório, músico, chegam para um ensaio, Eles são avisados que estão sendo gravados por uma rede de TV. Então o maestro alemão chega, impondo ordem aos gritos. Durante um breve intervalo o maestro concede uma entrevista aos jornalista. Quando volta , encontra sua orquestra em estado de revolta. Será o fim? 0 que os trará de volta à música? Ensaio de orquestra é a homenagem do mestre Federico Fellinni à arte da música, uma das paixões de sua vida.

 

O INCRÍVEL EXÉRCITO DE BRANCALEONE

Direção: Mario Monicelli
País: Itália
Ano: 1966
Nome Original: L’armata Brancaleone

No ano 1.000 D.C., um bravo cavaleiro parte da França para tomar posse de suas terras. No caminho, ele é assaltado e assassinado por um bando de foras-da-lei que, de posse da escritura, decidem pegar por si o terreno. Para isso, eles precisam de alguém que finja ser o cavaleiro e acabam encontrando a pessoa perfeita no atrapalhado Brancaleone de Nórcia. Começa aí uma longa jornada, onde Brancaleone e seus homens enfrentam os mais diversos perigos.

 

AQUELE QUE SABE VIVER

Direção: Dino Risi
País: Itália
Ano: 1962
Nome Original: Il Sorpasso

No verão de 1962, Bruno, um playboy quarentão, leva Roberto, um tímido estudante de direito, para uma viagem de dois dias pelas estradas de Roma e da Toscana. Neste período, vivem uma série de aventuras e desventuras, com um desfecho surpreendente.

 

CIÚME À ITALIANA

Direção: Ettore Scola
País: Itália
Ano: 1970
Nome Original: Dramma Della Gelosia – Tutti i Particolari in Cronaca

Em uma festa do Partido Comunista, Oreste, um homem de meia-idade, conhece a sedutora florista Adelaide e logo se apaixona. O caso desperta a ira de Antonia, a ciumenta esposa de Oreste, que agride a moça. Quando Adelaide conhece o jovem Nello numa passeata e os dois começam a namorar, é a vez de Oreste desenvolver um violento ciúme. Disposto a conquistar a moça, ele faz de tudo para separar o casal, apelando até para o feitiço de ciganos. Só que nada parece ser suficiente para separá-los.

 

OS ETERNOS DESCONHECIDOS

Direção: Mario Monicelli
País: Itália
Ano: 1958
Nome Original: I Soliti Ignoti

Sátira aos filmes de assalto que acompanha as peripécias de Peppe, um ex-boxeador que está cansado de viver de pequenos golpes e resolve fazer o assalto perfeito. Sua quadrilha é formada por um fotógrafo sem câmera, um ladrão aposentado, um ex-jóquei e um siciliano. O plano parece infalível, mas nada acontece do jeito que eles imaginam.

 

DIVÓRCIO À ITALIANA

Direção: Pietro Germi
País: Itália
Ano: 1961
Nome Original: Divorzio all’italiana

O barão Fefé Cefalu está entediado com a vida e a mulher, Rosalia. Ele se apaixona pela prima Ângela quando os dois passam o verão juntos no mesmo castelo. Como o divórcio era impossível na Itália nos anos 60, ele decide matar a esposa simulando uma situação de adultério, o que o livraria da cadeia.

 

UMA VIDA DIFÍCIL

Direção: Dino Risi
País: Itália
Ano: 1961
Nome Original: Una Vita Difficile

Silvio Magnozzi é um jornalista ex partido comunista que não consegue encontrar na Itália “nova” – que está vivendo seu “boom” econômico e onde ganham sempre os trampolineiros e os “sem escrúpulos” – os ideais que sustentaram a resistência contra os nazi-fascistas. Ele se sente um perdedor e acaba negando sua identidade em troca de um falso bem estar.

 

A MOÇA COM A PISTOLA

Direção: Mario Monicelli
País: Itália
Ano: 1968
Nome Original: La Ragazza Con La Pistola

Assunta Patane (Vitti) é uma jovem siciliana que foi não apenas deixada pelo amado, mas desonrada por ele. Disposta a se vingar, ela se arma com uma pistola e viaja para Londres à procura do rapaz a fim de matá-lo.

 

SEDUZIDA E ABANDONADA

Direção: Pietro Germi
País: Itália
Ano: 1964
Nome Original: Sedotta e abbandonata

Agnese, uma adolescente siciliana, é seduzida por Peppino, noivo de sua irmã, e fica grávida. Quando seu pai Vincenzo descobre tudo, obriga o futuro genro a casar com Agnese, mas ele foge. Vincenzo então ordena que seu filho Antonio mate Peppino.

 

CONFIRA A REVISTA CINEPLOT | MESTRES ITALIANOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *