20 Filmes sobre a Ironia Romântica de Friedrich Schlegel

Por Philippe Leão

Twitter: @Cineplotoficial
Instagram: @Cineplotoficial
Facebook: www.facebook.com/cineplot

É importante, mesmo que já esteja implícito, que se diga: Os realizadores dos filmes não necessariamente leram o autor em questão, mas neles é possível perceber seus pensamentos.

 

A Igualdade é Branca

 

A Igualdade é Branca

Direção: Krzystof Kieslowski
Ano: 1994
País: Polônia; França
Nome original: Trois Couleurs: Blanc

Segundo episódio da série do diretor polonês Kieslowski, dedicada aos ideais da Revolução Francesa (liberdade, igualdade e fraternidade), e o único da trilogia tratado de forma humorística. Dessa vez, o filme apresenta um olhar irônico sobre como o vazio da vida pode ser profundamente afetado pelo amor. A esposa de Karol (Zbigniew Zamachowski) pede o divórcio e o trata com crueldade, pois ele está impotente. Sem dinheiro e sem ninguém, Karol, que é imigrante na França, retorna à Polônia. Aos poucos ele vai ganhando dinheiro e planeja uma doce vingança.

 

Memórias de um Assassino

 

Memórias de um Assassino

Direção: Bong Joon-ho
Ano: 2003
País: Coreia do Sul
Nome original: Salinui Chueok

Baseado em uma fantástica história real, “Memórias de um Assassino” se passa na província de Gynnggi, na Coréia do Sul. O corpo de uma jovem brutalmente assassinada é achado pela polícia. Dois meses depois, em outro lugar, a brutalidade se repete. Em um local onde isso nunca deveria ter acontecido, os tiras se deparam com crimes cometidos por um assassino em série. Começa então uma interessante investigação liderada pelo detetive Park Du-Man.

 

Solaris

 

Solaris

Direção: Andrei Tarkovsky
Ano: 1972
País: Rússia
Nome original: Solyaris

Solaris é um planeta distante, que vem sendo constantemente estudado há décadas, e cujo mistério sobre seu oceano ainda não foi esclarecido, nem seus efeitos. Por falta de interesse e resultados, a solarística está morrendo; aliado a isto, os membros na estação espacial que orbita o planeta estão sendo afetados pelo oceano. Por conta disto, o psicólogo Kelvin – conhecido de um dos doutores da solarística e amigo de um dos tripulantes – é mandado para a estação para averiguar a situação. Lá, ele percebe aos poucos que Solaris é, mais que um planeta, um espelho da alma.

 

O Sopro do Coração

 

O Sopro do Coração

Direção: Louis Malle
Ano: 1971
País: França
Nome original: Le Souffle au Coeur

Laurent, de 15 anos de idade, vive em Dijon no seio de uma família burguesa de tradições rígidas. Não se dá muito bem com seu pai, nem com seus irmãos. É apaixonado por sua mãe, Clara, mulher muito livre que está cansada do marido. Laurent está naquela idade quando tudo é revolta. É a transição da infância para a adolescência, são as primeiras experiências sexuais. Depois de uma escarlatina, contrai um problema no coração, e vai se tratar em uma estação climática, acompanhado de sua mãe. Longe de casa, com todo o tempo do mundo só para eles, aprofundam essa relação de paixão que os une. Dirigido pelo grande diretor francês Louis Malle, O Sopro do Coração é um filme amoroso e verdadeiro sobre amor e liberdade.

 

Um Cão Andaluz

 

Un Chien Andalou

Direção: Luis Buñuel
Ano: 1929
País: França
Nome original: Un Chien Andalou

Sonho? Realidade? Subconsciente? Uma aventura surrealista de Luis Buñuel e Salvador Dalí.

Continue na próxima página!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *