12 Filmes sobre a Filosofia do Absurdo de Albert Camus

Por Philippe Leão

Twitter: @Cineplotoficial
Instagram: @Cineplotoficial
Facebook: www.facebook.com/cineplot

É importante, mesmo que já esteja implícito, que se diga: Os realizadores dos filmes não necessariamente leram o autor em questão, mas neles é possível perceber seus pensamentos.

Filmes sobre a Filosofia do Absurdo de Albert Camus 

Zelig

Direção: Woody Allen
País: EUA
Ano: 1983
Nome Original: Zelig

Um pseudo-documentário sobre a vida de Leonard Zelig (Woody Allen), o homem-camaleão, que tinha o dom de modificar a aparência para agradar as outras pessoas.

 

Elena

Direção: Petra Costa
País: Brasil
Ano: 2012
Nome Original: Elena

Elena viaja para Nova York com o mesmo sonho da mãe: ser atriz de cinema. Deixa para trás uma infância passada na clandestinidade dos anos de ditadura militar. Deixa Petra, a irmã de sete anos. Duas décadas mais tarde, Petra também se torna atriz e embarca para Nova York em busca de Elena. Tem apenas pistas. Filmes caseiros, recortes de jornal, um diário. Cartas. A todo momento Petra espera encontrar Elena caminhando pelas ruas com uma blusa de seda. Pega o trem que Elena pegou, bate na porta de seus amigos, percorre seus caminhos. E acaba descobrindo Elena em um lugar inesperado. Aos poucos, os traços das duas irmãs se confundem, já não se sabe quem é uma, quem é a outra. A mãe pressente. Petra decifra. Agora que finalmente encontrou Elena, Petra precisa deixá-la partir.

Contra a Parede

Direção: Fatih Akin
País: Alemanha; Turquia
Ano: 2004
Nome Original: Gegen die Wand

Sibel (Sibel Kekilli) é uma bela muçulmana de 20 anos. Em uma clínica de recuperação, após uma tentativa de suicídio, ela conhece Cahit (Birol Ünel), um turco quarentão e sua vida sofre uma reviravolta.

Harakiri

Direção: Masaki Kobayashi
País: Japão
Ano: 1962
Nome Original: Seppuku

Por meio de flashbacks, o filme narra a trágica história de um samurai forçado a vender sua espada real para sustentar sua esposa doente e seu filho. É incitado à vingança quando descobre que seu genro cometeu harakiri – forma honrosa para um samurai cometer suicídio – com uma espada de bambu também por falta de dinheiro.

Sangue de um Poeta

Direção: Jean Cocteau
País: França
Ano: 1932
Nome Original: Le Sang d’un poète

Um artista sem nome é transportado através de um espelho para outra dimensão, onde ele viaja através de diversos cenários bizarros. História contada em quatro episódios.

O Posto

O Posto

Direção: Ermanno Olmi
País: Itália
Ano: 1961
Nome original: Il Posto

Um cidadão provinciano vai a Milão, à procura de trabalho num grande complexo industrial. Consegue, mas não passa de um recepcionista. Conhece uma moça e a convida para a festa da firma. Ela não vem, mas em compensação morre um dos trabalhadores e o provinciano o substitui.

Continue na próxima página!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *