15 Filmes sobre Fé e Cristianismo

Por Philippe Leão

Twitter: @Cineplotoficial
Instagram: @Cineplotoficial
Facebook: www.facebook.com/cineplot

Em primeiro lugar é preciso dizer que a temática selecionada – Filmes sobre Fé e Cristianismo – não precisa necessariamente tratar de filmes religiosos, ou seja, que demonstram o cristianismo e seus mitos. A religião e os limites e consequências da fé estarão, também, presentes aqui. Confira a lista:

 

15 Filmes sobre Fé e Cristianismo que você precisa assistir

 

Marketa Lazarova

Marketa Lazarova

 

Direção: Frantisek Vlácil
Ano: 1967
País: Tchecoslováquia
Nome Original: Marketa Lazarová

Marketa Lazarova é um épico medieval poderoso, situado no século Xlll. Baseado na obra do escritor Vladislav Vancura, o filme segue a rivalidade entre dois clãs guerreiros, os Kozliks e os Lazars, assim como o amor condenado dos filhos dos rivais, Mikolas Kozlik e Marketa Lazarova. Com reminiscências da obra de Tarkovski e Kurosawa, fundado sobre a rica tapeçaria da ficção tcheca, este filme ambicioso e cheio de camadas é a coroação de Vlácil e um dos marcos do cinema mundial.

 

O Sétimo Selo

O Sétimo Selo

Direção: Ingmar Bergman
Ano: 1957
País: Suécia
Nome Original: Det Sjunde Inseglet

Após dez anos, um cavaleiro (Max Von Sydow) retorna das Cruzadas e encontra o país devastado pela peste negra. Sua fé em Deus é sensivelmente abalada e enquanto reflete sobre o significado da vida, a Morte (Bengt Ekerot) surge à sua frente querendo levá-lo, pois chegou sua hora. Objetivando ganhar tempo, convida-a para um jogo de xadrez que decidirá se ele parte com a Morte ou não. Tudo depende da sua vitória no jogo e a Morte concorda com o desafio, já que não perde nunca.

 

Deus e o Diabo na Terra do Sol

 

Deus e o Diabo na Terra do Sol

Direção: Glauber Rocha
Ano: 1964
País: Brasil

Manuel (Geraldo Del Rey) é um vaqueiro que se revolta contra a exploração imposta pelo coronel Moraes (Mílton Roda) e acaba matando-o numa briga. Ele passa a ser perseguido por jagunços, o que faz com que fuja com sua esposa Rosa (Yoná Magalhães). O casal se junta aos seguidores do beato Sebastião (Lídio Silva), que promete o fim do sofrimento através do retorno a um catolicismo místico e ritual. Porém ao presenciar a morte de uma criança Rosa mata o beato. Simultaneamente Antônio das Mortes (Maurício do Valle), um matador de aluguel a serviço da Igreja Católica e dos latifundiários da região, extermina os seguidores do beato.

 

A Moça e o Padre

 

Direção: Joaquim Pedro de Andrade
Ano: 1965
País: Brasil

A chegada de um novo padre numa pequena cidade do interior de Minas Gerais causa verdadeira comoção na conservadora atmosfera local. A situação se agrava quando se descobre que o padre fica completamente atraído por um jovem moça. Uma história de amor proibido que logo se transforma em paixão desenfreda. Baseado no poema de Carlos Drummond de Andrade.

 

A Paixão de Joana D’arc

 

A Paixão de Joana D'arc

Direção: Carl Theodor Dryer
Ano: 1928
País: Dinamarca
Nome Original: La Passion de Jeanne d’Arc

Versão muda da história de Joana D’Arc.

França, século XV, Joana de Domrémy, filha do povo, resiste bravamente a ocupação de seu país. É presa, humilhada, torturada e interrogada de maneira impiedosa por um tribunal eclesiástico, que a levou, involuntariamente, a blasfemar.
É colocada na fogueira e morre por Deus e pela França.

Último filme mudo de Carl Th. Dreyer, o filme mais fiel à história da guerreira. Todos os filmes de Dreyer, basearam-se em obras de ficção ou peças teatrais, exceto O Martírio de Joana d’Arc, que foi inspirado nos manuscritos oficiais do julgamento da donzela de Orléans.

 

O Evangelho Segundo São Mateus

 

O Evangelho Segundo São Mateus

Direção: Pier Paolo Pasolini
Ano: 1964
País: Itália
Nome Original: Il Vangelo Secondo Matteo

O filme segue de maneira fiel os textos de Mateus sobre todas as etapas da vida de Cristo, de seu nascimento à ressurreição. O Cristo pasoliniano, no entanto, é revolucionário, mais humano que divino, com muitos traços de doçura e que reage com raiva à hipocrisia e à falsidade dos homens.

 

Simão do Deserto

Simão do Deserto

Direção: Luis Buñuel
País: México
Ano: 1965
Nome Original: Simón del Desierto

O roteiro deste filme baseia-se na história de Simão Stilites que, dizem, viveu 37 anos no topo de uma coluna pregando a cristandade, até sua morte em 459 A.C..
Luiz Buñuel usa a história para um ataque divertido e cínico contra a religião e o fanatismo. Assim, o personagem central do filme, Simão, é um fanático religioso que passa sua vida no alto de sua coluna, no meio do deserto, rezando, pregando pela salvação, abençoando os peregrinos e ditando regras de conduta. O demônio, disfarçado, tenta seduzi-lo o tempo todo…

 

Ida

Ida

Direção: Pawel Pawlikowski
Ano: 2013
País: Polônia
Nome Original: Ida

Polônia, 1962. Anna é uma órfã criada por freiras. Ela vai visitar Wanda, o único parente vivo. Na visita, a tia diz a Anna que ela é judia, então as duas iniciam uma viagem, não só para encontrar a sua trágica história de família, mas para saber quem elas realmente são e aonde pertencem.

 

A Religiosa

A Religiosa

Direção: Jacques Rivette
Ano: 1966
País: França
Nome Original: La Religieuse

A adaptação da obra de Denis Diderot mantém-se fiel ao aspecto crítico e polêmico do original — o filme foi proibido em muitos lugares e mesmo na França teve inúmeros problemas com censura —, ao mesmo tempo em que o diretor adiciona um certo frescor que impede a simples rotulação como um filme baseado em um livro famoso.
A história acontece no século XVIII, onde Suzanne, uma jovem francesa, é forçada pelos pais a entrar para um convento e tornar-se freira. Durante este período, convive com três madres superioras, cada uma tratando-a de maneira completamente diferente, indo do afeto maternal, passando pelo sadismo e chegando ao lesbianismo. Em suas desventuras, a virtude de Suzanne sempre lhe causa problemas.

 

Andrei Rublev

Andrei Rublev

Direção: Andrei Tarkovski
Ano: 1966
País: Rússia
Nome Original: Andrey Rublyov

A Rússia do século XV passa por um período turbulento, o povo sofre injustiças e está fragilizado pela fome. Nesse cenário, acompanhamos um pouco da vida do pintor Andrei Rublev, que mais tarde abandonaria seu ofício para dedicar-se a Deus.

 

A Palavra

A Palavra

Direção: Carl Theodor Dryer
Ano: 1955
País: Dinamarca
Nome Original: Ordet

Uma família de fazendeiros, unida por fortes laços emocionais, passa por momentos de tensões provocados por pequenas desavenças. Sua rotina, após retorno de um dos filhos do patriarca, é modificada pela sua aparente loucura, que tudo indica, deriva de um estudo radical teosófico, que o fez acreditar ser Jesus Cristo. Nem todos aceitam que Johannes Borgen seja demente e fanático. E essa situação estará à prova, depois que um ente querido fica doente. Adaptação da peça teatral de Kaj Munk, pastor e dramaturgo, muito conhecido nos países escandinavos, que foi assassinado pelos nazistas. A Palavra é considerado uma obra-prima dentre os filmes que exploram o poder da fé, do amor e do sobrenatural. Isso se deve a maneira “realista” e “naturalista” que enfoca o tema. Ovacionado no Festival de Veneza, com o Leão de Ouro em 1955, é considerado um dos mais belos filmes em preto-em-branco já produzidos. É possível que este filme não influencie a nossa crença religiosa, mas, por meio dele, presenciemos um dos momentos mais marcantes da história da sétima arte.

 

O Homem de Palha

O Homem de Palha

Direção: Robin Hardy
Ano: 1973
País: Reino Unido
Nome Original: The Wicker Man

O policial Neil Howie, chega à ilha de Summerisle, na costa escocesa, com a missão de investigar o desaparecimento de uma jovem. Os habitantes da ilha, no entanto, não parecem dispostos a colaborar. Todos, inclusive a mãe da menina, negam que ela exista ou que tenham ligado para a polícia e relatado o crime. Quanto mais Howie, procura, mais se confunde. Para piorar, revela-se diante dele uma comunidade pagã, cheia de amor livre e folclores celtas, que vai contra tudo aquilo em que o religioso e conservador policial acredita.

 

Luz de Inverno

Nattvardsgästerna (1963) Filmografinr: 1963/03

Direção: Ingmar Bergman
Ano: 1963
País: Suécia
Nome Original: Nattvardsgästerna

Após ler no jornal que a China possui a bomba atomica pretende usá-la, um pescador vai à igreja, buscando palavras de conforto e consolo pastor. Porém, este não consegue ajudá-lo, pois passa por uma crise de fé, temendo também o apocalipse nuclear.

Segunda parte da “trilogia do silêncio”.

 

O Pagador de Promessas

O Pagador de Promessas

Direção: Anselmo Duarte
Ano: 1962
País: Brasil

Zé do Burro (Leonardo Villar) e sua mulher Rosa (Glória Menezes) vivem em uma pequena propriedade a 42 quilômetros de Salvador. Um dia, o burro de estimação de Zé é atingido por um raio e ele acaba indo a um terreiro de candomblé, onde faz uma promessa a Santa Bárbara para salvar o animal. Com o restabelecimento do bicho, Zé põe-se a cumprir a promessa e doa metade de seu sítio, para depois começar uma caminhada rumo a Salvador, carregando nas costas uma imensa cruz de madeira. Mas a via crucis de Zé ainda se torna mais angustiante ao ver sua mulher se engraçar com o cafetão(Geraldo Del Rey) e ao encontrar a resistência ferrenha do padre Olavo (Dionísio Azevedo) a negar-lhe a entrada em sua igreja, pela razão de Zé haver feito sua promessa em um terreiro de macumba.

 

A Bruxa

A Bruxa

Direção: Robert Eggers
Ano: 2015
País: Reino Unido
Nome Original: The Witch

 

Nova Inglaterra, ano de 1630. William e Katherine levam uma vida cristã com suas cinco crianças, morando á beira de um deserto intransitável. Quando o filho recém nascido deles desaparece e a colheita falha, a família se transforma em outra. Por trás de seus piores medos, um mal sobrenatural se esconde no bosque ao lado.

 

JÁ CONHECE NOSSO CANAL NO YOUTUBE? SE INSCREVE LÁ!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *