12 Filmes Inspirados em Guy Debord e a Sociedade do Espetáculo

Por Philippe Leão

Twitter: @Cineplotoficial
Instagram: @Cineplotoficial
Facebook: www.facebook.com/cineplot

É importante, mesmo que já esteja implícito, que se diga: Os realizadores dos filmes não necessariamente leram o autor em questão, mas neles é possível perceber seus pensamentos.

A Sociedade do Espetáculo, livro escrito por Guy Debord em 1967, trazia o espírito social do descontentamento com o capitalismo ocidental e o socialismo soviético. Tendo sido largamente aceito entre os universitários – em especial maio de 68 na França – o livro é uma crítica feroz à sociedade de consumo, à cultura da imagem – que cada vez mais explodia na vida das pessoas – e a economia adentrando em todas as esferas da vida.

Portanto, para Debord, cada vez mais as pessoas são mediadas pelo uso da imagem, representações imediatas que adquirem autonomia e tornam aqueles que as vê meros espectadores. Assim sendo, as imagens passam a moldar as relações humanas ao ponto de serem não reflexivas.

Nessa sociedade do espetáculo um cemitério espetaculariza-se, torna-se local de turismo, mercadoria. O Cinema e a arte rendem-se à velocidade do corte e, portanto, aos filmes de herói (hoje), mercadoria. As ações humanas são moldadas por uma interpretação prévia das imagens que chegam a mente do espectador como fatos, tornam-se, novamente, mercadoria.

Portanto, a sociedade do espetáculo está ligada a um fetichismo criado à imagem onde as relações humanas comportem-se tal qual mercadoria.

Antes da lista, confira nosso canal no YouTube!

 

Filmes Inspirados em Guy Debord e a Sociedade do Espetáculo

 

A Sociedade do Espetáculo

Sociedade do Espetáculo

 

Direção: Guy Debord
País: França
Nome Original: La Société du Spectacle

É um documentário que ressalta o aspecto de espetacularização dos feitos, em qualquer sociedade, seja ela neoliberal ou socialista. O documentário foi rodado em cima de um livro de mesmo nome e também de Guy Dubord. “ O espetáculo se apresenta, simultaneamente, como representação da própria sociedade. Enquanto parte da sociedade, ela é o foco de toda a visão e de toda consciência. Mas por ser algo separado, ela é, na verdade, o domínio da ilusão e da falsa consciência: a unificação que realiza não é outra coisa senão a linguagem oficial da separação

 

Ela

Ela

Direção: Spike Jonze
País: EUA
Nome Original: Her

Em um futuro próximo na cidade de Los Angeles, Theodore Twombly (Joaquin Phoenix) é um homem complexo e emotivo que trabalha escrevendo cartas pessoais e tocantes para outras pessoas. Com o coração partido após o final de um relacionamento, ele começa a ficar intrigado com um novo e avançado sistema operacional que promete ser uma entidade intuitiva e única. Ao iniciá-lo, ele tem o prazer de conhecer “Samantha”, uma voz feminina perspicaz, sensível e surpreendentemente engraçada. A medida em que as necessidades dela aumentam junto com as dele, a amizade dos dois se aprofunda em um eventual amor um pelo outro.

 

Show de Truman

O Show de Truman

Direção: Peter Weir
País: EUA
Nome Original: The Truman Show

Pacato vendedor de seguros (Jim Carrey) tem sua vida virada de cabeça para baixo quando descobre que é o astro, desde que nasceu, de um show de televisão dedicado a acompanhar todos os passos de sua existência.

 

Quem é Polly Maggoo?

Quem é Polly Maggoo

Direção: William Klein
País: França
Nome Original: Qui êtes-vous, Polly Maggoo?

Nessa sátira da indústria fashion, Polly Maggoo é uma modelo de 20 anos de idade, nascida no Brooklyn, a caminho dos grandes shows onde a editora Maxwell é formadora de opinião.
Existe algo a mais para Polly do que seu belo rosto?

Continue na próxima página!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *