12 Filmes para Conhecer o Cinema de Pier Paolo Pasolini

Por Philippe Torres

 

Um dos grandes mestres do cinema italiano e mundial, Pasolini é conhecido por sua poesia narrativa. O italiano talvez seja o maior poeta da imagem que já tivemos. Sua característica, porém, não é expressa em um senso comum do que é o belo. Em uma fotografia suja e alegorias corriqueiras, sua representação é exuberante, terrena e onírica.

 

12 Filmes de Pier Paolo Pasolini que você precisa assistir

  • Medeia

 

medeia

Em seu único papel no cinema, a diva Maria Callas vive a feiticeira Medéia, que mata o próprio irmão para fugir com o amado, Jasão, que roubara o velocino de ouro. Anos mais tarde, Jasão a abandona, para se casar com a jovem e bela filha do Rei Creonte. Indignada, Medéia planeja uma terrível vingança contra Jasão. Com belíssima fotografia de Ennio Guarnieri, Medéia é uma brilhante versão da tragédia grega de Eurípedes. Sem dúvida, um dos melhores trabalhos do polêmico Pier Paolo Pasolini, o diretor de O Evangelho Segundo São Mateus, Teorema entre outros filmes memoráveis.

  • As Mil e uma Noites

 

As Mil e uma noites

Capítulo final da trilogia de Pasolini inspirada em contos clássicos do erotismo, que se iniciou com ”Decameron” e ”Os Contos de Canterbury”. Aqui a história é centrada num jovem que se apaixona por uma escrava.

  • Decameron

 

Decamerão

O legendário diretor italiano Pier Paolo Pasolini nos traz nove contos exuberantes neste filme “rústico, genuinamente irreverente e picante” (Variety). Baseado nos eternos clássicos de Boccaccio – e o primeiro filme da Trilogia da Vida de Pasolini – Decameron é uma “irreverente travessura” (Variety), “positivamente triunfante em sua malícia” (Films and Filming)! Freiras devassas que realizam “milagres” sexuais, uma esposa traiçoeira com habilidade para negócios, um artista tuberculoso à beira da morte que tenta trapacear com o Céu, jovens amantes apanhados com as calças na mão, um criado que perde a cabeça por amor e um simplório fazendeiro que tenta transformar sua esposa numa égua. Estas são apenas algumas das histórias que Pasolini traz à vida com maestria!

  • Os Contos de Canterbury

 

Canterbury

Segunda parte da Trilogia da Vida do aclamado diretor italiano Pier Paolo Pasolini, o longa é baseado nas obscenas histórias de Geoffrey Chaucer do século XIV. Mergulhando com prazer em alguns dos mais perversos e lascivos contos, Pasolini celebra de forma ardente quase toda forma imaginável de ato sexual com um humor rico, rude e visual mágico. Para completar, Pasolini faz uma representação de inferno que teria deixado Hieronymos Bosch orgulhoso.

  • Saló ou 120 dias de Sodoma

 

SALO OU OS 120 DIAS DE SODOMA

Baseado livremente em histórias de Marquês de Sade (“Círculo de Manias”, “Círculo da Merda” e “Círculo do Sangue”), passa-se na Itália controlada pelos nazistas, onde quatro libertários fascistas seqüestram 16 jovens e os aprisionam em uma mansão com guardas. A partir daí, eles passam a ser usados como fonte de prazer, masoquismo e morte.

  • Pocilga

 

Pocilga

A partir de duas histórias paralelas, uma no século XVI e outra na Alemanha pós-moderna, Pasolini faz um retrato metafórico nada alentador da degradação humana alastrada pela sociedades de consumo, as quais não prezam o sentido e a essência do ser humano, mas apenas sua capacidade de consumo. É uma reflexão sobre o lema da era capitalista: “consumo, logo existo”. Embora pareça um tanto estranho e complicado de se entender, Pocilga nada mais é que uma brincadeira do diretor, que utilizou temas incomuns como a antropofagia e a bestialidade, para criar uma obra puramente crítica e irônica sobre o assunto tão controvertido que é o consumismo.

  • Édipo Rei

 

Edipo Rei

O filme começa em uma pequena cidade no norte da Itália. No campo, junto com algumas amigas, uma mãe amamenta seu filho, mas, por um breve instante, o pânico invade seus pensamentos. Em casa, o pai do menino teme que ele assuma seu lugar na vida e no coração da mãe. À noite, depois de uma festa, os pais dormem em um quatro. O menino repousa em outro. O pai acorda, vai ao quarto ao lado e tenta enforcá-lo. A cena se transfere para a Grécia Antiga, onde se passa originalmente a tragédia de Sófocles. Ali, o oráculo de Delfi prevê: se Laio, rei de Tebas, gerar um filho, esse o matará.

  • Teorema

 

Teorema

Em Milão a vida de uma rica família burguesa é totalmente modificada por um misterioso visitante (Terence Stamp), que seduz a empregada, o filho, a mãe, a filha e finalmente o pai. Além disto, tem um contato intelectual com todos eles, convencendo-os da futilidade da existência, e após cumprir seu objetivo parte em poucos dias. Após sua ida ninguém da família consegue continuar vivendo da mesma forma.

  • Mamma Roma

 

Mamma Roma

Anna Magnani (Belíssima) vive Mamma Roma, uma prostituta que sonha em mudar de vida e de classe social, o que a permitiria rever a guarda do filho Ettore. Para tanto, decide se casar com Carmine, seu ex-gigôlo.

  • O Evangelho Segundo São Mateus

 

O Evangelho Segundo São Mateus

O filme segue de maneira fiel os textos de Mateus sobre todas as etapas da vida de Cristo, de seu nascimento à ressurreição. O Cristo pasoliniano, no entanto, é revolucionário, mais humano que divino, com muitos traços de doçura e que reage com raiva à hipocrisia e à falsidade dos homens.

  • Gaviões e Passarinhos

 

Gaviões e Passarinhos

Pai (Totò) e filho (Ninetto Davoli), ambos trabalhadores proletários, empreendem uma viagem, acompanhados e orientados pelas ideias marxistas de um corvo falastrão. Parábola ferina de Pier Paolo Pasolini sobre o universo dos marginalizados.

  • Accattone – Desajuste Social

 

ACCATTONE

Ao som da musica sublime de Bach Pasolini nos apresenta a miserável periferia de Roma, onde vive Vittorio,| mais conhecido como Accattone, um jovem cafetão que explora a prostituta Maddalena. Quando ela é presa, ele fica sem rumo até se apaixonar pela ingênua Stella, que tenta fazê-lo mudar de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *