20 Filmes sobre a Filosofia de Søren Kierkegaard

Por Philippe Leão
Twitter: @Cineplotoficial
Instagram: @Cineplotoficial
Facebook: www.facebook.com/cineplot
É importante, mesmo que já esteja implícito, que se diga: Os realizadores dos filmes não necessariamente leram o autor em questão, mas neles é possível perceber seus pensamentos.
Kierkegaard, filósofo nórdico muito influenciado pelo movimento Romântico e, por isso, rompedor com as ideias da modernidade – Renascimento e Iluminismo, em geral – irá tratar da condição humana e a necessidade de lidar com escolhas. Preocupado com a impessoalidade da ciência – crítica direta ao método científico de Bacon e Hume – Kierkegaard diz ser impossível se distanciar do eu na busca pela verdade (aquilo que a ciência diz ser capaz de encontrar). O ser não pode, para ele, ser desconsiderado. Uma vez que sente, pensa e faz escolhas, o corpo também faz parte da verdade. Por isso, impossível separar a pessoa do ato científico, crítica forte a razão colocada como uma entidade divina na modernidade. Assim, na irracionalidade, nos sentimentos, nas nossas impressões e, principalmente no subjetivo encontra-se a verdade.
Justamente essa busca individual pela verdade que nos faz, como condição, escolher. Nossa vida é feita, a todo instante, de novas escolhas e são essas que trazem nossas angústias. Apresenta-se assim:
Condição humana: Fazer escolhas que nos permitirão, lembrando Spinoza, os encontros com o mundo.
separacao

O dilema moral é peça chave na trama de A Separação,
repleto de influências Kierkegaardianas.

Problema: Angústia.
Surgem dessa maneira três tipos de sujeito que buscarão lidar com suas escolhas e, consequentemente, suas angustias: O Sujeito Estético; Ético e Religioso.
Sujeito Estético:
Este sujeito é aquele que tem medo de suas escolhas, entregando, assim, aos outros o poder da escolha, livrando-se de suas angústias. Contudo, há uma falsa ideia de liberdade, afinal, esse sujeito sofre por não ser senhor de suas próprias escolhas que, contudo, não lhe da as responsabilidades criada por suas escolhas (mesmo que o fato de entregar a escolha a outro seja também uma escolha). O sujeito estético tem, como diz Kierkegaard, um medo da angústia e por isso foge dela.
Ex: Alguém que entrega a outro a responsabilidade do voto.
Sujeito Ético:
 
O Sujeito Ético é aquele que assume suas escolhas, mesmo sabendo que esta pode não ser a melhor entre as possibilidades. Este sujeito, a todo instante, entra em conflito com as demais que deixou para trás, mas não desiste daquela que assumiu. Como o próprio nome diz, ético, assume a responsabilidade por sua escolha, mas sofre da angústia que esta lhe proporciona devido àquilo que não pode conquistar em consequência de sua escolha. Quando trilhamos um caminho, automaticamente negamos outras possibilidades, e o sujeito Ético sofre por estas.
Ex: Alguém que insiste em um relacionamento que, claramente, não da mais certo e sofre por não poder ter as outras possibilidades.
Sujeito Religioso:

Ao contrário do que se pensa, o Sujeito religioso não está ligado a qualquer entidade religiosa. Seu nome é dado devido ao chamado salto de fé, um salto no desconhecido. Este assume suas escolhas e não se importa com as consequências, não preocupando-se com os caminhos não escolhidos. O sujeito religioso, demonstra fragilidade promovida por sua crença em sua escolha ao não preocupar-se com as consequências, mas ao mesmo tempo uma enorme determinação capaz de livrar-lhes da angústia. Sabendo o que pode acontecer, não se importa.Ex: Uma pessoa que faz uma escolha sem importar-se com o que o outro pensa.

 

Seus trabalhos lidam com o mal estar diante da religião, a questão do pecado, a fé, ética, escolha, angústia e condição humana com ser indivíduo. Muitos de seus trabalhos, como grande parte dos Românticos, contém respostas a Hegel que geram enormes controvérsias.

 

Paris, Texas

paris texas 
Direção: Wim Wenders
País: Alemanha; EUA
Nome Original: Paris, Texas
Um homem é encontrado exausto e sem memória, em um deserto ao sul dos EUA. Aos poucos ele vai se recordando de sua vida, sendo acolhido pelo irmão Walt, que é casado com Anne. Com eles vive também Alex, filho do homem sem memória, que aos poucos volta a se identificar com o pai.
A Longa Caminhada
A Longa Caminhada 
Direção: Nicholas Roeg
País: Austrália
Nome Original: Walkabout
Duas crianças são abandonadas pelo pai louco que, pouco antes de se suicidar, tenta matá-las em meio a uma região desabitada do deserto australiano. À mercê do destino e com poucos recursos para sobrevivência, o garoto e a menina passam a ser auxiliados por um aborígene, que vive sozinho pelo deserto para cumprir um ritual de sua tribo.
Narciso Negro
narciso negro 
Direção: Michael Powell; Emeric Pressburger
País: Reino Unido
Nome Original: Black Narcissus
Cinco freiras inglesas abrem uma escola e um hospital numa vila de remota região do Himalaia. A harmonia do local é ameaçada com a chegada de uma bela moça da região e de um jovem e rico herdeiro.
Morangos Silvestres
Victor Sjöström Morangos Silvestres 
Direção: Ingmar Bergman
País: Suécia
Nome Original: Smultronstället
A caminho de uma cerimônia de premiação numa universidade, um médico é assediado por situações e personagens que o conduzem a um mergulho em sua vida pregressa.
A Garota da Fábrica de Fósforo
a garota da fabrica de fósforo 
Direção: Aki Kaurismaki
País: Finlândia
Nome Original: Tulitikkutehtaan Tyttö
Uma jovem supervisora de embalagens de fósforo tem sua monótona vida modificada por um homem bem vestido que a convida para dançar e ir ao seu apartamento.
Ida
Ida 
Direção: Pawel Pawlikowski
País: Polônia
Nome Original: Ida
Polônia, 1962. Anna é uma órfã criada por freiras. Ela vai visitar Wanda, o único parente vivo. Na visita, a tia diz a Anna que ela é judia, então as duas iniciam uma viagem, não só para encontrar a sua trágica história de família, mas para saber quem elas realmente são e aonde pertencem.
A Vaca
A Vaca 
Direção: Dariush Mehjui
País: Índia
Nome Original: Gaav
Baseado em peça de Gholam-Hossein Saedi, que também contribuiu no roteiro. A Vaca é a história de Masht Hassan, orgulhoso proprietário da única vaca existente em uma aldeia pobre. Um dia, quando ele viaja a negócios, a vaca morre inesperadamente. Ao invéz de contar a verdade, os outros aldeões decidem dizer que o animal simplesmente se perdeu. Com tanto de sua identidade e de seu status relacionados à vaca, Hassan fica cada vez mais obcecado com a busca, ao ponto de enlouquecer. Financiado grande parte pelo governo do Xá, as imagens do filme do interior do Irã e da pobreza deixaram tão ultrajados os produtores que eles obrigaram os cineastas a colocar uma observação de que os eventos retratados haviam ocorridos muito antes do atual regime.
Alice nas Cidades
Alice nas Cidades 
Direção: Wim Wenders
País: Alemanha
Nome Original: Alice in den Städten
O jornalista alemão Philip Winter adquire a fobia de bloqueio de escritor ao tentar escrever um artigo sobre os Estados Unidos e, então, decide retornar à Alemanha. Ao registrar o vôo, encontra-se com uma mulher alemã e sua filha Alice, de nove anos, assim começando uma longa e duradoura amizade.
A Separação
separacao 
Direção: Asghar Farhadi
País: Irã
Nome Original: Jodaeiye Nader az Simin
Simin e seu marido Nader, estão se preparando para deixar o Irã, com a filha Termeh. Mas Nader, preocupado com seu pai, que sofre de Alzheimer, acaba desistindo da viagem. Decepcionada, Simin, entra com pedido de divórcio, que é negado pela vara de família. Ainda assim, ela decide sair de casa, deixando Termeh, para trás. Sem conseguir lidar com todas essas mudanças, Nader, contrata a jovem Razieh, para cuidar de seu pai doente. Grávida, a moça está trabalhando escondida do marido.
Cidadão Kane
Cidadão Kane 
Direção: Orson Welles
País: EUA
Nome Original: Citzen Kane
A ascensão de um mito da imprensa americana, de garoto pobre no interior a magnata de um império dos meios de comunicação. Inspirado na vida do milionário William Randolph Hearst.
A Árvore da Vida
 a-arvore-da-vida
Direção: Terrence Malick
País: EUA
Nome Original: The Tree of Life
“A Árvore da Vida” aproxima o foco na relação entre pai e filho de uma família comum, e expande a ótica desta rica relação, ao longo dos séculos, desde o Big Bang até o fim dos tempos, em uma fabulosa viagem pela história da vida e seus mistérios, que culmina na busca pelo amor altruísta e o perdão.
Sonata de Outono

Liv Ullmann Sonata

Direção: Ingmar Bergman
País: Suécia
Nome Original: Höstsonaten
Uma pianista visita a filha no interior da Noruega. A mãe é uma artista de renome internacional, mas a filha é tímida e deprimida. O encontro das duas é tenso, marcado por lembranças do passado e revela uma relação repleta de rancor, ressentimentos e cobranças.
O Sacrifício
sacrificio 
Direção: Andrei Tarkovsky
País: Rússia
Nome Original: Offret
Alexander, um jornalista e ex-ator e filósofo, diz ao filho pequeno como ele está preocupado com a falta de espiritualidade da humanidade moderna. Na noite de seu aniversário, a terceira guerra mundial irrompe. Em seu desespero Alexander transforma-se em uma oração a Deus, oferecendo seu tudo para que a guerra não tenha realmente acontecido.
A Palavra
A Palavra 
Direção: Carl Theodor Dreyer
País: Dinamarca
Nome Original: Ordet
Em 2 de Setembro de 1932 Carl Th. Dreyer encontrava-se entre a assistência na estréia da peça de Kaj Munk – Ordette. Impressionado, Dreyer decidiu-se de imediato a fazer dela um filme, o que só se concretizaria depois de uma longa e cuidadosa preparação, 22 anos mais tarde, em 1955. Uma família de fazendeiros, unida por fortes laços emocionais, passa por momentos de tensões provocados por pequenas desavenças. Sua rotina, após retorno de um dos filhos do patriarca, é modificada pela sua aparente loucura, que tudo indica, deriva de um estudo radical teosófico, que o fez acreditar ser Jesus Cristo. Nem todos aceitam que Johannes Borgen seja demente e fanático. E essa situação estará à prova, depois que um ente querido fica doente. Adaptação da peça teatral de Kaj Munk, pastor e dramaturgo, muito conhecido nos países escandinavos, que foi assassinado pelos nazistas. A Palavra é considerado uma obra-prima dentre os filmes que exploram o poder da fé, do amor e do sobrenatural. Isso se deve a maneira “realista” e “naturalista” que enfoca o tema. Ovacionado no Festival de Veneza, com o Leão de Ouro em 1955, é considerado um dos mais belos filmes em preto-em-branco já produzidos. É possível que este filme não influencie a nossa crença religiosa, mas, por meio dele, presenciemos um dos momentos mais marcantes da história da sétima arte.
Não Matarás
Não Matarás 
Direção: Kezysztof Kieslowsky
País: Polônia
Nome Original: A Short Film About Killing
Neste belo e perturbador filme, o diretor Kielowski analisa a Polônia moderna com seus princípios socialistas. Utilizando uma quantidade mínima de diálogos, o cineasta se concentra no poder da imagem e das cores.Quando um jovem polonês desempregado, obcecado pela violência, mata friamente um motorista de taxi, um advogado recém-formado é designado para defendê-lo. Kieslowski demonstra através dos três protagonistas a anatomia de um crime e os meandros da justiça de um Estado totalitário.
Contos da Lua Vaga
 Contos da Lua Vaga
Direção: Kenji Mizoguchi
País: Japão
Nome Original: Ugetsu Monogatari
Durante a guerra civil japonesa, no século 16, o pobre oleiro Genjuro e seu cunhado Tobei viajam com as respectivas mulheres à capital da província onde vivem, nas redondezas do lago Biwa, para vender utensílios de cerâmica. Com as vendas, Tobei compra armas e se torna samurai, abandonando a esposa. Genjuro, por sua vez, acaba passando vários dias no castelo da misteriosa Lady Wakasa, quando vai entregar as mercadorias.
O Espírito da Colméia
O Espirito da Colmeia 
Direção: Victor Erice
País: Espanha
Nome Original: El Espíritu De La Colmena
As duas pequenas irmãs Ana (Ana Torrent) e Isabel (Isabel Tellería) moram em terras rurais da Espanha, na década de 40. Elas estão determinadas a encontrar a estranha figura de “Frankenstein” que passará pela região.
Valerie e suas Semanas de Deslumbramento
Valerie e Sua Semana de Deslumbramentos 
Direção: Jaromil Jires
País: Tchecoslováquia
Nome Original: Valerie a Týden Divů
Valerie, uma jovem adolescente que vive com sua avó, começa a ter os primeiros contatos com sua consciência sexual quando um grupo circense chega a sua cidade. Eaglet é um jovem que a presenteia com um par de brincos mágicos. A linha entre sonhos e realidade é tênue nesta fantasia psicológica surrealista. Uma história que trata de amor, medo, sexo e religião.
A Infância de Ivan
A Infância de Ivan 
Direção: Andrei Tarkovsky
País: Russia
Nome Original: Ivanovo Detstvo
Durante a segunda Grade Guerra, os russos tentavam combater a investida nazista em seu território. Nas frentes soviéticas, Ivan, um garoto órfão de 12 anos, trabalha como um espião, podendo atravessar as fronteiras alemãs para coletar informação sem ser visto, e vive sob os cuidados de três oficiais russos. Mas, após inumeras missões, e com um desgaste físico cada vez maior, os oficiais resolvem poupar Ivan, mandando-o para a escola militar. Ganhador do Leão de Ouro em Veneza.

2 comentários em “20 Filmes sobre a Filosofia de Søren Kierkegaard

  • 17 de setembro de 2016 em 18:24
    Permalink

    Quem é o diretor do filme “A separação”? Nao acho o torrent dele…

    Resposta
    • 18 de setembro de 2016 em 01:26
      Permalink

      Olá Carla, o diretor é Asghar Farhadi. Excelente artista!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *