20 filmes sobre mulheres “Belas, Recatadas e do Lar”

Por Fernando Boechat e Philippe Torres.

Twitter: @Cineplotoficial
Instagram: @Cineplotoficial
Facebook: www.facebook.com/cineplot

Já imaginou como seria uma lista de filmes sobre mulheres “Belas, Recatadas e do Lar”?  Agora faça o exercício inverso…

Imagine uma lista de filmes sobre mulheres livres que não se enquadram na caricatura de um padrão moralista.

Em “homenagem” a reportagem da famigerada revista machista, onde tenta estabelecer como modelo a ser seguido a mulher “bela, recatada e do lar” e já projetando uma suposta futura primeira dama, o Cineplot traz uma lista de mulheres que quebraram o estereótipo no Cinema.

Confira outras listas destinadas às mulheres:
  • Jeanne Dielman

jeandielman-1600x900-c-default

Direção: Chantal Akerman

País: Bélgica/França

Ano: 1975

Considerado como a obra-prima de Akerman, traz a atriz Delphine Seyrig no papel de Jeanne Dielman, uma jovem viúva que vive com seu filho Sylvain seguindo uma ordem imutável: à tarde, enquanto seu filho está na escola, ela cuida do apartamento e recebe os clientes.

  • Garota, Interrompida

Apr 20, 2000; Hollywood, California, USA; After friend and fellow patient Polly lands herself in solitary, ANGELINA JOLIE (left as Lisa) and WINONA RYDER as Susanna Serenade her in 'Girl Interrupted'. Mandatory Credit: Photo by Suzanne Tenner/Columbia TriStar/ZUMA Press. (©) Copyright 2000 by Courtesy of Columbia TriStar, HANDOUT

Direção: James Mangold

País: Alemanha/Estados Unidos

Ano: 1999

Em 1967, após uma sessão com um psicanalista que nunca havia visto antes, Susanna Kaysen foi diagnosticada como vítima de “Ordem Incerta de Personalidade” – uma aflição com sintomas tão ambíguos que qualquer garota adolescente pode ser enquadrada. Enviada para um hospital psiquiátrico, onde viveu nos 2 anos seguintes, ela conhece um novo mundo, de jovens garotas sedutoras e transtornadas. Entre elas está Lisa, uma charmosa sociopata que organiza uma fuga com Susanna, Daisy e Polly, com o intuito de retomarem suas vidas.

  • Thelma & Louise

009-thelma-and-louise-theredlist

Direção: Ridley Scott

País: Estados Unidos

Ano: 1991

Mulher cansada da vida de dona de casa maltratada pelo marido embarca em uma viagem de final de semana com uma amiga, mas que mudará para sempre a vida das duas quando inesperados problemas surgem em seus caminhos.

  • Ontem, Hoje e Amanhã  

1410692384139_Marcello_Mastroianni_insieme_a_Sofia_Loren_nel_film__Ieri_Oggi_Domani___Ansa_

Direção: Vittorio de Sica

País: França/Itália

Ano: 1963

O filme apresenta três histórias distintas: na primeira, uma mulher, para evitar ser presa, passa sua vida acumulando bebês, já que a lei não permite que prendam mulheres grávidas; na segunda, acompanhamos uma conversa entre uma rica mulher e seu amante a bordo de um luxuoso carro; na terceira, um jovem e futuro padre sente-se seduzido pela luxuriosa vizinha.

  • Jackie Brown

heist8

Direção: Quentin Tarantino

País: Estados Unidos

Ano: 1997

Jackie Brown é uma aeromoça, funcionária de uma companhia aérea de segunda linha, que reforça o seu baixo salário trazendo para o país dinheiro sujo de um traficante de armas, Ordell Robbie. Um dia, ela é pega por policiais com uma alta soma numa mala. Mas estes lhe oferecem a liberdade se os ajudar a pegar o traficante.

  • Princesa Mononoke

Princesa Mononoke

Direção: Hayao Miyazaki

País: Japão

Ano: 1997

Um príncipe infectado por uma doença sabe que irá morrer a menos que encontre a cura. Sendo a sua última esperança, segue para o leste e, durante o caminho, encontra animais da floresta lutando contra a sua exploração, liderados pela princesa Mononoke.

  • Garota Sombria Caminha Pela Noite

*** Local Caption *** A Girl Walks Home Alone at Night, , Ana Lily Amirpour, USA, 2014, V'14, Spielfilme

Direção: Ana Lily Amirpour

País: Estados Unidos

Ano: 2014

Coisas estranhas acontecem em Bad City. Uma cidade iraniana fantasma, lar de prostitutas, viciados, cafetões e outras almas sórdidas. Um reduto de depravação e falta de esperança, onde uma vampira solitária persegue os habitantes mais repugnantes. Mas quando um garoto conhece uma garota, uma história de amor incomum começa a florescer…vermelha como o sangue.

 

  • Medéia

momafilm_pierpaolopasolini-2012_medea

Direção: Pier Paolo Pasolini

País: Alemanha Ocidental/França/Itália

Ano: 1969

Em seu único papel no cinema, a diva Maria Callas vive a feiticeira Medéia, que mata o próprio irmão para fugir com o amado, Jasão, que roubara o velocino de ouro. Anos mais tarde, Jasão a abandona, para se casar com a jovem e bela filha do Rei Creonte. Indignada, Medéia planeja uma terrível vingança contra Jasão. Com belíssima fotografia de Ennio Guarnieri, Medéia é uma brilhante versão da tragédia grega de Eurípedes.

  • Copacabana Mon Amour

copa14c

Direção: Rogério Sganzerla

País: Brasil

Ano: 1970

Sônia Silk circula por Copacabana, no Rio de Janeiro, com o grande sonho de ser cantora da Rádio Nacional. Ela é irmã de Vidimar, empregado apaixonado pelo patrão, o Dr. Grilo. Sônia Silk vê espíritos baixarem em seres e objetos e procura o pai-de-santo Joãozinho da Goméia para livrá-la desta aflição.

Helena Ignez

  • Azul é a Cor Mais Quente

La-vie-d-Adele-prive-de-visa-d-exploitation

Direção: Abdellatif Kechiche

País: França

Ano: 2013

Adèle (Adèle Exarchopoulos) é uma estudante do colegial, que começa a se relacionar com o jovem Thomas, mas não se sente completa ao lado dele. Ela então descobre, no azul dos cabelos de Emma (Léa Seydoux), sua primeira paixão por outra mulher.

  • Viver a Vida

viver a vida_1280

Direção: Jean-Luc Godard

País: França

Ano: 1962

Uma seqüência de doze segmentos desconectados apresenta a trajetória de uma jovem mulher entrando no mundo da prostituição em Paris.

  • Malena

4725_malena-640

Direção: Giuseppe Tornatore

País: Estados Unidos/Itália

Ano: 2000

Em 1941, numa pequena vila localizada na Sicília, um grupo de garotos de 13 anos de idade nutre uma profunda paixão por Malena (Monica Bellucci), a viúva de um soldado local, despertando uma história de amor, perda e coragem.

  • A Cadela

a cadelat

Direção: Marco Ferreri

País: Itália/França

Ano: 1972

Giorgio (Mastroianni) vive com seu cão, Melampo, isolado do mundo, em uma ilha mediterrânea que fora, na II Guerra, base aérea dos alemães. A inusitada e acidental chegada de Liza (Deneuve) na ilha quebra sua rotina. Liza afeiçoa-se de Giorgio, e desiste de ir embora. Porém, quando Melampo morre, Liza pouco a pouco vai substituindo o companheiro de Giorgio. E quando ele lhe coloca uma coleira, o surrealismo da relação dos dois está apenas começando.

  • Mônica e o Desejo

sommaren-med-monika-original

Direção: Ingmar Bergman

País: Suécia

Ano: 1953

O jovem Henrik se apaixona perdidamente por Monika, a moça da quintada. Após Henrik ser despedido do emprego, o casal decide se isolar de todos, fazendo uma idílica viagem de barco pelas ilhas de Estocolmo durante as férias de verão. Monika engravida e a viagem termina. Será que o amor dos jovens resistirá às dificuldades do cotidiano?

  • Sob a Pele

under-the-skin-under_the_skin_stills-193711_rgb

Direção: Jonathan Glazer

País: Estados Unidos/Reino Unido/Suíça

Ano: 2013

Uma mulher misteriosa (Scarlett Johansson) seduz homens solitários na calada da noite, na Escócia, e com isso iniciará um processo de auto-descoberta.

  • Ninfomaníaca: Volume 1

ninfo1

Direção: Lars Von Trier

País: Alemanha/Bélgica/Dinamarca/França/Reino Unido

Ano: 2013

trilogia-da-depressao

Bastante machucada e largada em um beco, Joe (Charlotte Gainsbourg) é encontrada por um homem mais velho, Seligman (Stellan Skarsgard), que lhe oferece ajuda. Ele a leva para sua casa, onde possa descansar e se recuperar. Ao despertar, Joe começa a contar detalhes de sua vida para Seligman. Assumindo ser uma ninfomaníaca e que não é, de forma alguma, uma pessoa boa, ela narra algumas das aventuras sexuais que vivenciou para justificar o porquê de sua auto avaliação.

  • A Bela da Tarde

belle de jour

Direção: Luis Buñuel

País: França/Itália

Ano: 1967

A história de Séverine (Catherine Deneuve), jovem rica e infeliz que procura um discreto bordel para realizar suas fantasias sexuais e conseguir o prazer que seu marido não consegue lhe dar.

  • Mas não Livrai-nos do mal

vlcsnap-2014-10-24-03h54m58s232-912x551

Direção: Joël Séria

País: França

Ano: 1971

Anne e Lore são duas adolescentes muito próximas que estudam em um colégio católico. Cansadas de todas as regras decidem rebelar-se e adorar Satanás, fazendo uso da mentira e da sedução.

  • As Pequenas Margaridas

sedmikrasky_postcard2

Direção: Vera Chytilová

País: Tchecoslováquia

Ano: 1966

Utilizando-se de avançados efeitos especiais para a época, Vera Chytilová dirigiu esta obra surrealista que conta a história de duas garotas chamadas Marie, que decidem se adequar ao mundo como ele está: sendo depravadas. Portanto, ambas partem para uma série de encontros forjados e travessuras, desconstruindo o mundo ao seu redor.

  • A Colecionadora

tumblr_lfm1i0zOb31qbd4g7o1_1280

Direção: Eric Rohmer

País: França

Ano: 1967

Adrien vai em férias a uma pequena cidade à beira do Mediterrâneo. Ele aluga uma casinha, dividindo o aluguel com seu amigo Daniel e com Haydée, uma garota desconhecida que tem vários amantes. Em um primeiro momento, tanto Adrien como Daniel não dão muita bola para ela. Quando Adrien dá sinais de que está se sentindo atraído, tudo começa a mudar.

5 thoughts on “20 filmes sobre mulheres “Belas, Recatadas e do Lar”

  • 22 de abril de 2016 at 23:18
    Permalink

    Não recatadas e não do lar, somente.
    Da maneira que exige o cinema ocidental, são todas belas. Têm de ser.

    Reply
    • 24 de abril de 2016 at 01:26
      Permalink

      Muito bem observado, JP. =)

      Reply
  • 23 de abril de 2016 at 00:27
    Permalink

    Duas ressalvas:

    Sobre “Garota Interrompida” a personagem interpretado por Winnona Ryder se interna espontaneamente no hospital psiquiátrico.

    “Azul é a cor mais quente” não merece estar nessa lista. Embora as personagens não sejam nem recatadas e nem do lar, o filme está claramente subsidiando valores patriarcais de beleza e sexualidade. Pois, o romance e a sexualidade feminina são retratados de uma perspectiva machista colocando as protagonistas no lugar de objeto de fetiche machista. Deplorável.

    Reply
    • 24 de abril de 2016 at 01:29
      Permalink

      Obrigado Isis, sempre bom ter esse retorno.

      Reply
  • 25 de maio de 2016 at 21:55
    Permalink

    Gone Girl e Death Proof !!!!

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *