Crítica: What Happened, Miss Simone?

Por Leonardo CarvalhoEstados Unidos – 2015

Direção: Liz Garbus
Elenco: Nina Simone, Stanley Crouch, Dick Gregory 

 

Indicado ao Oscar de melhor documentário, “What Happened, Miss
Simone?” é um longa-metragem produzido pela Netflix. Como o título já diz,
a obra é uma cinebiografia de Nina Simone, uma das vozes mais influentes do
jazz no século XX.
A abertura do filme
mostra um pouco da infância da artista, as suas dificuldades a chegar aonde
chegou, tocando piano na igreja, vivendo uma vida bastante pobre. A narrativa
segue acompanhando a vida de Simone em ordem cronológica, mostrando suas
referências e seus começos no mundo de música.
Já no desenvolvimento, observamos que Nina Simone foi uma figura
importante na luta contra o racismo, tocando inclusive na manifestação ocorrida
em Selma, um marco na história dos Estados Unidos e dos direitos civis dos
negros. Não só em participações físicas em determinados locais e datas, mas as
suas letras agressivas contra a opressão dos brancos evidenciavam isso, e o
documentário acerta em escolher as canções que combinam muito bem com o tema
refletindo na parte do filme que trata do assunto.
É interessante notar que aparecem poucos vídeos com Simone falando, mas apenas
vídeos dos concertos que se apresentava. Há um recorte jornalístico, colhendo
informações da moça em áudios deixados por ela, escritos antigos e depoimentos
de pessoas próximas, como sua filha e um guitarrista que trabalhou ao seu lado
durante toda a carreira.
Mais para a conclusão do filme, como já era previsto, mostra-se o final
da sua carreira, suas idas e voltas à vida da música, suas rebeliões contra o
piano. Mostram-se também seus últimos momentos no palco, problemas psicológicos
e um letreiro dando informações da sua morte e curiosidades. Uma estrutura de
documentário correta.
No final das contas, temos um documentário bastante sólido sobre uma
cantora que revolucionou o jazz e as oportunidades na música para mulheres
negras. O filme merece a indicação ao Oscar pelo ótimo trabalho da direção por
conseguir cativar o espectador entre a ilustração da vida de Nina Simone e
intervalos musicais de suas apresentações, que por sinal, são excelentes.
★★★★★★★½☆☆ – Nota: 7,5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *