20 Filmes sobre o TABU

Por Philippe Leão
 
A palavra Tabu é amplamente utilizada no senso comum. Contudo, seu verdadeiro significado pouco debatido. O Tabu é uma instituição religiosa que atribui carácter sagrado a determinados seres, objetos ou lugares. Em seu fundamento, é a base da idolatria política de políticos totalitários como Adolf Hitler e Mussolini, ou até mesmo em uma falsa democracia. Segundo Freud, a violação do interdito provocaria um castigo divino – guiados por uma moral coletiva dos seguidores religiosos, sejam eles praticantes ou apenas atores do senso comum – fazendo com que ninguém quebre o TABU. Dessa forma, o interdito é uma forma de controle ordeiro (pleonasmo) guiado pela moral de determinada crença coletiva. O incesto e o patricídio seriam os tabus mais comuns e próximos da universalidade. Contudo, ainda não há evidencias de Tabus universais em sua totalidade, ou seja, que o sejam em todas as sociedades antropológicas já existentes. Enfim, confiramos uma lista de filmes que tratam do tema. Não diremos de qual cada um trata, deixaremos que descubram por si só. Divirtam-se com o polêmico!
– Irreversível
IrreversívelDireção: Gaspar Noé
País: FrançaO filme narra, de trás para frente, a história de uma vingança. A primeira seqüência mostra dois amigos desesperados, Marcus (Vincent Cassel) e Pierre (Albert Dupontel), saindo pelo submundo de Paris à procura do homem que teria estuprado e espancado Alex (Monica Bellucci), a atual namorada de Marcus e ex-namorada de Pierre. Em seguida, a narrativa volta passo a passo no tempo para mostrar como Marcus e Pierre descobriram o nome do autor do crime, recuando até o próprio estupro e os eventos que o antecederam.


– Miss Violence

 Miss Violence

Direção: Alexandros Avranas
País: Grécia

Aggeliki (Chloe Bolota) no seu aniversário de 11 anos se joga da varanda de casa com um sorriso no rosto. Sua família alega que não foi suicídio, mas sim um acidente e parece conformada com a morte da menina tentando, de todas as formas, continuar com suas vidas, perfeitamente organizadas. Em busca de respostas, promotores começam uma investigação para saber se foi, ou não suicídio e quais são os segredos obscuros que essa família, aparentemente perfeita guarda.


– Ato Final

Ato Final

Direção: Jerzy Skolimowski
País: Reino Unido

Um rapaz de origem humilde e recém-formado no colegial não encontra boas colocações profissionais e arruma um emprego numa termas pública de um subúrbio de Londres. No trabalho, ele se apaixona perdidamente por uma colega de trabalho, uma mulher mais velha do que ele.


– HAXAN

haxan

Direção: Benjamin Christensen
País: Dinamarca

Häxan documenta as perseguições movidas contra as feiticeiras numa Europa atravessada pela intolerância religiosa. O filme é narrado em primeira pessoa, como se o diretor desejasse demonstrar uma tese, assim enunciada: “A crença nos maus espíritos, feitiçaria e bruxaria é o resultado de ingênuas noções sobre o mistério do universo”. Torturas, possessões e rituais de Sabá são aqui dramatizados numa narrativa de docudrama, ilustrando uma série de analogias entre o mundo moderno e o período da Inquisição. Obra-prima do cinema fantástico, realizado numa época em que não havia censura. São visíveis as influências pictóricas de Hieronymus Bosch e Bruegel. O virtuosismo de Häxan acabou influenciando Carl Dreyer em “A Paixão de Joana D’Arc”.


– Lúcia e o Sexo

luhdb8lccikrtmvhtfx3bipntxe

 

Direção: Julio Medem
País: Espanha

Após o sumiço de seu noivo, o escritor Lorenzo (Tristán Ulloa), a bela e independente Lúcia (Paz Vega) decide ir até uma ilha do Mediterrâneo onde seu namorado nunca a quis levar, apesar de seus insistentes pedidos. Lá ela encontra detalhes sobre antigos relacionamentos dele, como se fossem passagens ocultas de seu passado que o autor, com sua ausência, agora a permitisse ler.


– O Joelho de Claire

O Joelho de Claire

Direção: Eric Rohmer
País: França

Jerome (Jean-Claude Brialy) é um diplomata que passa suas últimas férias de solteiro às margens do lago Annecy. Lá ele reencontra Aurora (Aurora Cornu), uma escritora italiana que é sua amiga e que alugou um quarto na casa de uma senhora e suas duas filhas, Laura (Béatrice Romand) e Claire (Laurence de Monaghan). Logo Aurora o avisa que Laura está interessada nele, incentivando-o a ter um último namoro antes do casamento. Entretanto Jerome está interessado em Claire, tendo um desejo obsessivo em acariciar seu joelho. Quinto filme da série Seis Contos Morais.


– O Homem de Palha

O Homem de Palha

Direção: Robin Hardy
País: Reino Unido

O policial Neil Howie, chega à ilha de Summerisle, na costa escocesa, com a missão de investigar o desaparecimento de uma jovem. Os habitantes da ilha, no entanto, não parecem dispostos a colaborar. Todos, inclusive a mãe da menina, negam que ela exista ou que tenham ligado para a polícia e relatado o crime. Quanto mais Howie, procura, mais se confunde. Para piorar, revela-se diante dele uma comunidade pagã, cheia de amor livre e folclores celtas, que vai contra tudo aquilo em que o religioso e conservador policial acredita.


– Onibaba

onibaba

Direção: Kaneto Shindo
País: Japão

Século 14, Japão. Esperando o filho que está na guerra, uma mulher e sua nora sobrevivem em uma aldeia através de tocaias que armam para alguns soldados, matando-os e vendendo seus pertences. Com a morte do filho, a mãe põe em prática um plano diabólico para manter a companhia de sua nora.


– As Mil e uma Noites

As Mil e uma noites

Direção: Pier Paolo Pasolini
País: Itália

Capítulo final da trilogia de Pasolini inspirada em contos clássicos do erotismo, que se iniciou com ”Decameron” e ”Os Contos de Canterbury”. Aqui a história é centrada num jovem que se apaixona por uma escrava.


– O Sopro do Coração

O Sopro do Coração

Direção: Louis Malle
País: França

Laurent, de 15 anos de idade, vive em Dijon no seio de uma família burguesa de tradições rígidas. Não se dá muito bem com seu pai, nem com seus irmãos. É apaixonado por sua mãe, Clara, mulher muito livre que está cansada do marido. Laurent está naquela idade quando tudo é revolta. É a transição da infância para a adolescência, são as primeiras experiências sexuais. Depois de uma escarlatina, contrai um problema no coração, e vai se tratar em uma estação climática, acompanhado de sua mãe. Longe de casa, com todo o tempo do mundo só para eles, aprofundam essa relação de paixão que os une. Dirigido pelo grande diretor francês Louis Malle, O Sopro do Coração é um filme amoroso e verdadeiro sobre amor e liberdade.


– Jules & Jim

jules e jim
Direção: François Truffaut
País: França

Na virada para o século XX, Jules e Jim são dois amigos que se apaixonam pela mesma mulher, Catherine, que acaba casando com Jules. Depois da Primeira Guerra Mundial, quando eles se reencontram na Alemanha, Catherine começa a amar Jim.


– Persona 

Liv Ullmann Persona

Direção: Ingmar Bergman
País: Suécia

 

Alma, uma enfermeira, deve cuidar de Elisabeth Vogler, uma atriz que está com a saúde muito boa mas se recusa a falar de qualquer jeito. Com a convivência, Alma fala a Elisabeth o tempo todo, inclusive sobre alguns de seus segredos, nunca recebendo resposta. Logo, Alma percebe que sua personalidade está sendo submergida na pessoa de Elisabeth.

Confira a análise em vídeo!



– Festa de Família

Festa de Familia

Direção: Thomas Vinterberg
País: Dinamarca


Patriarca (Henning Moritzen) de família dinamarquesa comemora seus 60 anos em grande estilo, reunindo a família num hotel de luxo. Mas uma revelação feita por seu filho pode estragar a festa.


– Os Contos de Canterbury

Canterbury

Direção: Pier Paolo Pasolini
País: Itália

Segunda parte da Trilogia da Vida do aclamado diretor italiano Pier Paolo Pasolini, o longa é baseado nas obscenas histórias de Geoffrey Chaucer do século XIV. Mergulhando com prazer em alguns dos mais perversos e lascivos contos, Pasolini celebra de forma ardente quase toda forma imaginável de ato sexual com um humor rico, rude e visual mágico. Para completar, Pasolini faz uma representação de inferno que teria deixado Hieronymos Bosch orgulhoso.


– Monstros

freaks
Direção: Tod Browning
País: E.U.A

Sob a direção de Tod Browning, “Freaks” é um cult clássico de 1932 que abalou a sociedade da época, foi rejeitado, trancafiado e somente após 30 anos, na década de 60, que é posto a mostra no mundo todo em exibições de cinemas sujos e festivais amadores. O motivo de tanta polêmica e rejeição esta na essência da trama, nas críticas e nos personagens atípicos.


– Pink Flamingos

pink flamingos

Direção: John Waters
País: E.U.A

Pink Flamingos é um longa-metragem americano de baixo orçamento, escrito e dirigido por John Waters, lançado em 1972 no circuito underground, onde alcançou notável sucesso e tornou-se ícone do cinema bizarro. O filme conta a trajetória da drag-queen Divine, e sua família na competição contra o casal Connie e Raymond Marble, pelo título de “pessoas mais sórdidas do mundo”, insensatamente almejado.


– Oldboy

Oldboy

Direção: Chan Wook Park
País: Coréia do Sul


Oh Dae-su é preso depois de uma bebedeira. Ao sair da cadeia ele resolve ligar para casa. É aniversário de três anos de sua filha. Na cena seguinte acorda em um quarto onde há apenas uma televisão. Sem saber por quem e nem por que, Oh Dae-su fica preso durante 15 anos. Ao sair daquele lugar, procura entender o que se passou em sua vida. Mesmo afastado de tudo ele foi acusado de matar sua mulher. Oh Dae-su quer vingança. Custe o que custar. Para isso terá que viver uma história perturbadora, de fortes emoções.


– O Arco

O Arco

Direção: Kim ki Duk
País: Coréia do Sul

Um homem de 60 anos criou uma menina desde que ela era um bebê em seu barco de pesca. O trato é que eles se casariam quando ela completasse 17 anos, e falta apenas um ano para isso. Eles vivem uma existência tranqüila e reclusa, rezando e alugando o barco para pescadores, até que suas vidas são alteradas com o embarque de um estudante adolescente.


– Tabu

tabu-c-tamasa-distribution
Direção: Nagisa Oshima
País: Japão

Sozaburo, um jovem de dezoito anos, torna-se um dos membros de uma tropa de samurais especialmente selecionados pelo Shogun, conhecidos como Shinsengumi. Os guerreiros, extremamente hábeis no uso de espadas, são treinados para matar quem se opuser ao regime do Shogun. Sozaburo, se envolve numa relação homossexual com alguns dos guerreiros do grupo. Ele se considera culpado pelo crime envolvendo dois guerreiros que se apaixonaram por ele.


– Império dos Sentidos

Império dos Sentidos

Direção: Nagisa Oshima
País: Japão

A história de uma ex-prostituta que envolve-se em um caso de amor obsessivo com o senhorio de uma propriedade onde ela trabalha como criada. O que começa como uma diversão inconseqüente transforma-se em uma paixão que ultrapassa quaisquer limites.

Um comentário em “20 Filmes sobre o TABU

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *