10 Filmes sobre o Mito de Édipo

Por Philippe Leão
Twitter: @Cineplotoficial
Instagram: @Cineplotoficial
Facebook: www.facebook.com/cineplot
 
O mito de Édipo é uma narrativa decorrente na história das artes.
No mito, Laio, rei de Tebas, havia sido alertado pelo Oráculo de Delfos que uma maldição concretizar-se-ia: seu próprio filho o mataria e casaria com a própria mãe. Amedrontado, o rei abandonou seu filho, Édipo, no monte Citerão, pregando um prego em cada pé. Certo dia, após ser adotado pelo rei de Corinto, Édipo retorna por acado a Delfos.
Chegando na cidade, Édipo consulta o mesmo oráculo que dantes havia consultado Laio, dando a mesma premonição dada ao rei, momento este que foge de Corinto por medo de matar seu pai. Em determinado momento “ao acaso” Édipo mata um homem sem saber que este era seu pai. Mais tarde, depois de derrotar a esfinge, o herói retorna e casa-se com sua mãe e tem quatro filhos.

Após mais uma consulta com o Oráculo, Édipo e Jocasta descobrem ser mãe e filho, provocando auto-mutilação dos olhos por ter estado cego e não ter reconhecido a mãe, tendo traído o seu pai.Por assim dizer, Édipo não se sentiu mal com o fato de ter transado com a própria mãe, mas sim por ter traído o pai. A relação incestuosa para os gregos era algo comum, não havia mal algum no incesto. Aliás, essa palavra de designação moral é própria de nossa cultura.

O mito de Édipo foi referenciado para explicar o amor sexual do filho pela mãe – ou filha pelo pai – na fase fálica da formação infantil. Assim como nas artes tem sido motivo, desde o princípio, de polêmicas.
– A Orfã
A Orfã

Direção: Jaume Collet-Serra
Ano: 2009
País: E.U.AA tragédia parece acompanhar a vida de Esther apesar dos seus 9 anos de idade. Ela é uma órfã russa e a família que a adotou morreu em um incêndio que também quase a matou. Mas agora uma nova família, os Coleman, a adotou e a vida parece ter entrado nos eixos novamente. Até o dia que uma colega de classe de Esther sofre um acidente mais sério, uma freira é golpeada até a morte e a nova mãe da garota começa a se perguntar se a família de Esther realmente morreu em um incêndio acidental.


– Édipo ReiEdipo Rei
Direção: Pier Paolo Pasolini
Ano: 1967
País: ItáliaO filme começa em uma pequena cidade no norte da Itália. No campo, junto com algumas amigas, uma mãe amamenta seu filho, mas, por um breve instante, o pânico invade seus pensamentos. Em casa, o pai do menino teme que ele assuma seu lugar na vida e no coração da mãe. À noite, depois de uma festa, os pais dormem em um quatro. O menino repousa em outro. O pai acorda, vai ao quarto ao lado e tenta enforcá-lo. A cena se transfere para a Grécia Antiga, onde se passa originalmente a tragédia de Sófocles. Ali, o oráculo de Delfi prevê: se Laio, rei de Tebas, gerar um filho, esse o matará.

 
– Anticristo
Anticristo
Direção: Lars Von Trier
Ano: 2009
País: Dinamarca

trilogia-da-depressao

Um casal devastado pela morte de seu único filho se muda para uma cabana isolada na floresta Éden, onde coisas estranhas e obscuras começam a acontecer. A mulher é uma intelectual escritora que não consegue se livrar do sentimento de culpa pela morte do filho, e ele, um psicanalista, tenta exercer seu meio de trabalho para ajudar a esposa. Anticristo é divido em partes: Prólogo e Epilogo e ainda capítulos que se passam na floresta de Éden: Dor, Luto, Desespero e Os três Mendigos.

 
– Chinatown

Chinatown

Direção: Roman Polanski
Ano: 1974
País: EUA

Jack Nicholson é o detetive Jake Gittes, sobrevivendo no clima ensolarado e de moral obscura, na Califórnia do período anterior à guerra. Contratado por uma bela socialite (Faye Dunaway) para investigar o caso extraconjugal de seu marido, Gittes é colhido num furacão de situações dúbias e tradições mortais, desvendando uma teia de escândalos políticos e pessoais, que se chocam em uma única e inesquecível noite em… Chinatown.

 
– Psicose
Psicose

Direção: Alfred Hitchcock
Ano: 1960
País: E.U.AMarion Crane, rouba a firma em que trabalha e foge para recomeçar sua vida. Uma tempestade a faz parar num hotel de beira de estrada, onde é recebida pelo estranho, porém afável, Norman Bates, que cuida do lugar. Quando Marion, desaparece, sua irmã e o amante decidem investigar.
 
– O Sopro do Coração
O Sopro do Coração

Direção: Louis Malle
Ano: 1971
País: França



Laurent, de 15 anos de idade, vive em Dijon no seio de uma família burguesa de tradições rígidas. Não se dá muito bem com seu pai, nem com seus irmãos. É apaixonado por sua mãe, Clara, mulher muito livre que está cansada do marido. Laurent está naquela idade quando tudo é revolta. É a transição da infância para a adolescência, são as primeiras experiências sexuais. Depois de uma escarlatina, contrai um problema no coração, e vai se tratar em uma estação climática, acompanhado de sua mãe. Longe de casa, com todo o tempo do mundo só para eles, aprofundam essa relação de paixão que os une. Dirigido pelo grande diretor francês Louis Malle, O Sopro do Coração é um filme amoroso e verdadeiro sobre amor e liberdade.

– Stocker

Stoker

Direção: Chan Wook Park
Ano: 2013
País: Coréia do Sul

Em pleno luto por causa da morte de seu pai, India (Mia Wasikowska) deve lidar com o novo comportamento agressivo de sua mãe (Nicole Kidman) e com a chegada inesperada de um tio que ela nem sabia que existia, Charlie (Matthew Goode). Este homem sombrio esconde as reais motivações de sua visita, enquanto seduz as duas mulheres da família.

 
– Oldboy
Oldboy

Direção: Chan Wook Park
Ano: 2003
País: Coréia do SulOh Dae-su é preso depois de uma bebedeira. Ao sair da cadeia ele resolve ligar para casa. É aniversário de três anos de sua filha. Na cena seguinte acorda em um quarto onde há apenas uma televisão. Sem saber por quem e nem por que, Oh Dae-su fica preso durante 15 anos. Ao sair daquele lugar, procura entender o que se passou em sua vida. Mesmo afastado de tudo ele foi acusado de matar sua mulher. Oh Dae-su quer vingança. Custe o que custar. Para isso terá que viver uma história perturbadora, de fortes emoções.
 
– Pietá
Pietá
Direção: Kim Ki Duk
Ano: 2012
País: Coréia do SulKang-do trabalha cobrando empréstimos devidos a agiotas. Sem família, ele vive um cotidiano brutal e solitário, empregando métodos violentos para extorquir suas vítimas. Tudo muda quando ele é abordado por uma mulher que afirma ser sua mãe.

– Festa de FamíliaFesta de Familia
Direção: Thomas Vinterberg
Ano: 1998
País: Dinamarca

Patriarca (Henning Moritzen) de família dinamarquesa comemora seus 60 anos em grande estilo, reunindo a família num hotel de luxo. Mas uma revelação feita por seu filho pode estragar a festa.

8 thoughts on “10 Filmes sobre o Mito de Édipo

  • 21 de setembro de 2015 at 22:00
    Permalink

    Eu acrescentaria o filme grego "Miss Violence" do diretor Alexandros Avranas. É de chocar a alma! Assistam! 🙂

    Reply
    • 21 de setembro de 2015 at 22:03
      Permalink

      É fantástico mesmo Suzana, já assistimos! Inclusive se encontra em algumas de nossas outras listas, da uma conferida 🙂

      Infelizmente as listas não conseguem abarcar todos os filmes, mas nós do Cineplot temos a ética de jamais dizer que os filmes selecionados são os melhores da temática escolhida.

      Reply
  • 21 de outubro de 2015 at 14:41
    Permalink

    Fica a dica fortíssima de assistir o "Ma mere" (Minha mãe), francês, de 2004. É um filme muito pesado e baseado inteiramente na relação extremamente sexualizada de uma mãe com seu filho.

    Reply
  • 21 de outubro de 2015 at 15:18
    Permalink

    Só um lembrete: em volver não houve somente uma relação incestuosa, houve estupro, então não acho interessante mante-lo nessa lista visto que Édipo e sua mãe mantiveram relações consensuais.

    Reply
  • 16 de novembro de 2015 at 17:28
    Permalink

    um filme que trata até de um ponto de vista freudiano do complexo de Édipo é "fome animal" de Peter Jackson, uma comédia de horror edipiana.

    Reply
  • 1 de fevereiro de 2016 at 01:01
    Permalink

    Encaixotando helena se encaixa nessa lista?

    Reply
  • 2 de maio de 2016 at 23:48
    Permalink

    Tem um ótimo nessa temática que é ” La Luna” de 1979 – Bertolucci, relação mãe e filho muito adoecida 🙁

    Reply
  • 2 de agosto de 2016 at 21:43
    Permalink

    Faltou o excelente “Incendies” que retrata, inclusive na sofisticação do enredo, a temática de Édipo.

    Um abraço a todos.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *