8 Filmes de Billy Wilder que Você Precisa Assistir

Por Pedro Gondim







Um
dos diretores mais famosos e aclamados da história do cinema, Wilder iniciou
sua carreira de reconhecimento e prestígio em Hollywood, após fugir da Alemanha
nazista na década de 30.
Nos
Estados Unidos, dirigiu, escreveu e produziu diversos filmes clássicos e
imortalizados ao lado de astros como: Greta Garbo, Marilyn Monroe, Gary Cooper,
Ginger Rogers, Tony Curtis e muitos outros. Sua marca no cinema sempre foi o
interesse por histórias que demonstrassem a imperfeição humana e suas
consequências extremas.
O
Cineplot apresenta uma lista com 8 grandes filmes deste diretor que é
considerado, por muitos, o grande mestre do cinema hollywoodiano.
 – Pacto de Sangue (1944)
 

 

 
Walter Neff (Fred MacMurray), um vendedor de
seguros, é seduzido e induzido por Phyllis Dietrickson (Barbara Stanwyck), uma
sedutora e manipuladora mulher, a matar seu marido, mas de uma forma que pareça
acidente para a polícia e também em condições específicas, que façam o seguro
ser pago em dobro (no caso, 100 mil dólares).
 – Farrapo Humano (1945)
 




Em Nova York, Don Birman (Ray Milland)
sonhava ser escritor, mas não consegue seu objetivo por estar sofrendo de um
bloqueio. Assim, é completamente dominado pelo álcool e passa a ter como única
meta obter dinheiro para continuar se embriagando, se esquecendo que as pessoas
que o rodeiam sofrem por vê-lo neste estado e tudo fazem para afastá-lo da
bebida. Mas enquanto a namorada, Helen St. James (Jane Wyman), editora de uma revista,
quer ajudá-lo, ele bebe cada vez mais.
 – Quanto Mais Quente Melhor (1959)

 

 
Chicago, 1929. Joe (Tony Curtis) e Jerry
(Jack Lemmon) são músicos desempregados, que estão desesperados por trabalho.
Eles acidentalmente testemunham o Massacre do Dia de São Valentim, assistindo o
criminoso Spats Colombo (George Raft) e seu cúmplice aniquilarem Toothpick
Charlie (George E. Stone) e sua gangue. Forçados a apressadamente deixarem a
cidade, Joe e Jerry pegam o primeiro trabalho que podem arrumar: tocar na banda
de garotas da Sweet Sue (Joan Shawlee) e suas Sincopadoras. Em trajes
femininos, os dois se juntam ao resto da banda em um trem que vai para Miami,
Flórida. Diante desta situação, Joe adota o nome de Josephine e Jerry torna-se
Daphne. De repente eles vêem Sugar Kane (Marilyn Monroe), a vocalista da banda
de Sweet Sue. Jerry se apaixona na hora, mas Joe o lembra que ele não pode se
fazer notar. Porém, após chegarem a Miami, um milionário (Joe E. Brown) se
apaixona por Daphne e Joe resolve se fazer passar por um milionário para tentar
conquistar Sugar, tudo isto em meio à uma reunião dos Amigos da Ópera Italiana,
uma convenção de criminosos que traz à cidade Spats Colombo e sua gangue.
 – Cinco Covas no Egito (1943)
 




Junho, 1942. O exército britânico se retira
diante de Rommel, deixando um único sobrevivente na fronteira egípcia, John J.
Bramble, um militar que encontra refúgio em um hotel localizado num oásis no
deserto do Saara. O local logo se torna um quartel-general alemão. Para
sobreviver Bramble assume a identidade do finado garçom do local, mas o
disfarce logo se mostra perigoso: o novo hóspede é ninguém menos que o próprio
Rommel, que tem como estratégia secreta dele algo denominado “cinco
sepulturas”. Agora, o destino da Inglaterra no Egito depende deste humilde
militar descobrir o que é este segredo que Rommel esconde.
 – Crepúsculo dos Deuses (1950)
 




No início um crime é cometido e uma voz em
off começa a narrar que tudo começou quando Joe Gillis (William Holden), um
roteirista fugindo de representantes de uma financeira que tentava recuperar o
carro por falta de pagamento e se refugia em uma decadente mansão, cuja
proprietária, Norma Desmond (Gloria Swanson), era uma estrela do cinema mudo.
Quando Norma tem conhecimento que Joe é roteirista, contrata-o para revisar o
roteiro de Salomé, que marcaria o seu retorno às telas. O roteiro era
insuportável, mas o pagamento era bom e ele não tinha o que fazer. No entanto,
o que o destino lhe reservava não seria nada agradável.
 – A Montanha dos Sete Abutres (1951)

 

 
Albuquerque, Novo México. O repórter veterano
Charles Tatum (Kirk Douglas) foi despedido de 11 jornais, por 11 razões
diversas. Ele está sem dinheiro, então pede a Jacob Q. Boot (Porter Hall), o
dono do jornal local, que lhe dê um emprego e consegue. Seu plano era trabalhar
ali no máximo dois meses, mas após um ano não surgiu nenhuma boa oportunidade
nem aconteceu nada bem interessante que rendesse uma boa matéria. Tatum
sente-se totalmente entediado e sem motivação, então recebe ordem para cobrir
uma corrida de cascavéis. Aparentemente seria outra matéria sem o menor
atrativo, mas ruma para o local acompanhado por Herbie Cook (Robert Arthur), um
misto de auxiliar, motorista e fotógrafo. No meio do caminho param para
abastecer o carro e Tatum acaba descobrindo que Leo Minosa (Richard Benedict)
ficou preso em uma mina quando procurava por “relíquias indígenas”.
Tatum sente que esta reportagem pode ser a chance que ele esperava, mas para
isto precisa ter controle da situação. Ele transforma o resgate de Leo em um
assunto nacional, atraindo milhares de curiosos, cinegrafistas de noticiários e
comentaristas de rádio, além de forçar Lorraine (Jan Sterling), a mulher de
Leo, a se fazer passar como uma esposa arrasada. Na verdade ela ia abandonar
Leo neste trágico momento, mas Tatum a fez ver que ela iria ganhar um bom
dinheiro na sua lanchonete quando as pessoas chegassem para ver o acontecia.
Para prolongar o circo Tatum reduz deliberadamente a velocidade do resgate de
Leo, pois o ideal é que ele que preso por seis dias e não apenas por algumas
horas.
 – Se Meu Apartamento Falasse (1960)

 

 
Bud Baxter é um funcionário de uma companhia
de seguros em Nova York que descobriu uma maneira mais rápida de evoluir de
cargo: emprestar seu apartamento para que os executivos da empresa levam para
lá suas amantes. O problema começa quando Fran Kubelik, uma dessas mulheres,
tenta se matar em seu apartamento.
 – Testemunha de Acusação (1957)

 

 
Quando Leonard Vole (Tyrone Power) é preso
sob a acusação de ter assassinado uma rica viúva de meia-idade, Sir Wilfrid
Robarts (Charles Laughton), um veterano e astuto advogado, concorda em
defendê-lo. Sir Wilfrid está se recuperando de um ataque do coração quase fatal
e “supostamente” está em uma dieta, que o proíbe de ingerir bebidas
alcoólicas e de se envolver em casos complicados. Mas a atração pelas cortes
criminais é algo muito forte para ele, especialmente quando o caso é bem
difícil. O único álibi de Vole é o testemunho da sua esposa, Christine Vole
(Marlene Dietrich), uma mulher fria e calculista. A tarefa de Sir Wilfrid fica
praticamente impossível quando Christine Vole concorda em ser testemunha, não
da defesa, mas da acusação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *