10 Filmes Mudos que Você Precisa Assistir

Por: Philippe TorresOs filmes mudos tiveram grande importancia para o desenvolvimento da técnica cinematográfica. Diretores como Pabst, Murnau, Fritz Lang, Dryer, Eisenstein, Vertov e outros fizeram parte dessa geração que trouxe muito do que fez o cinema atual. Mais que cineastas, os artistas dessa época eram teóricos que foram capazes de estabelecer o cinema definitivamente no cenário da Arte.

 

 
– O Gabinete do Dr. Caligari

 

 

 

Direção: Robert Wiene
O Gabinete do Dr. Caligari é considerado o primeiro filme do Expressionismo Alemão no cinema. Impressionante, o filme carrega uma carga dramática e opressora em seus cenários anarquicamente distorcidos. Uma narrativa de sonhos e uma constituição do subconsciente alemão da década de 20. Imperdível.
 
 
 
– O Martírio de Joana D’arc

 

 

 

Direção: Carl Theodor Dryer

 

 

Carregando aquela que talvez seja a melhor atuação feminina da história do cinema com Maria Falconetti, O Martírio de Joana D’arc é o oposto de Caligari. Seus cenários são completamente esvaziados, dando uma projeção realística, porém, onírica.
 
 
 
– A Caixa de Pandora

 

 

 

Direção: George Wilhelm Pabst

 

 

Com traços expressionistas, porém, o filme carrega uma materialidade proveniente da Nova Objetividade. A atuação vintage da musa Louise Brooks proporciona uma grande experiencia introspectiva.
 
 
 
– Encouraçado Potemkin

 

 

 

Direção: Sergei Eisenstein

 

Teórico da técnica que proporcionou a diferenciação do cinema as demais artes, a montagem, Eisenstein é marcado como um dos grandes diretores da história do cinema. A cena da escadaria de Odessa é uma das mais marcantes que já pudemos ver.

 

 
– Luzes da Cidade

 

 

 

Direção: Charlie Chaplin

 

 

O meste da comédia, Charlie Chaplin, não só inovou no gênero como trouxe filmes com enorme sensibilidade, bastante particular. Luzes da Cidade talvez seja o melhor dentre tantos outros grandes clássicos do diretor.
 
 
 
– Limite

 

 

 

Direção: Mario Peixoto

 

O filme brasileiro da lista. Sim, o Brasil já produziu filmes mudos e esse de altíssima qualidade, tendo sido elogiado por ninguém menos que Sergei Eisenstein à época. Planos marcantes e uma montagem impactante marcam uma narrativa muito bem construída.
 
 
– A Carruagem Fantasma
 

 

Direção: Victor Sjostrom

 

 

Os países nórdicos foram responsáveis pelos melhores filmes produzidos no início do cinema, Sjostrom é um dos grandes responsáveis pelo fato. A carruagem fantasma carrega efeitos de dupla exposição que convencem até hoje. Uma narrativa que mistura contos entre a morte e a vida. Infelizmente, Hollywood sugou esses diretores e os países nórdicos só voltariam ao estrelato na década de 50.
 
 
 
– Sherlock Jr.

 

 

 

Direção: Buster Keaton

 

 

Ao lado de Chaplin, Buster Keton inovou a comédia. O palhaço sem riso trouxe um novo modelo de estratificação dos espaços e uma atuação contida. Um dos grandes atores/diretores da história.
 
 
 
– Um Homem com uma Câmera

 

 

 

Direção: Dziga Vertov

 

Vertov também foi um dos teóricos da montagem. Expoente da Montagem Soviética, o diretor trouxe o conceito de câmera olho, que entregou ao cinema uma nova perspectiva de pensamento sobre a arte. Seus documentários mistura elementos oníricos, capaz de confundir-se com uma narrativa convencional.
 
– Aurora
 

 

Direção: F.W Murnau

 

 

Uma história de amor pouco convencional. Trabalhando muito bem o claro-escuro, a atmosfera ganha uma aura que, ao mesmo tempo que romantica, é opressora, intimidadora e julgadora das relações estabelecidas no filme. Aurora é considerado por muitos o melhor filme da história.








Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *